Pular para o menu
1333566668
PETROBRAS

Acionistas aprovam orçamento 2012 após balanço 2011

Pelos números e projetos de investimentos, trabalhadores ficam à vontade para fazer campanha da PLR

04 de abril de 2012 às 16:11

destaque

Foto: AE/FABIO MOTTA

Em Assembleias realizadas na última segunda-feira, 19 de março, no Rio de Janeiro, os acionistas da Petrobras aprovaram o Balanço, definiram o orçamento 2012 da Companhia, além da proposta de repasse de dividendos de 12 bilhões com base nos resultados de 2011.

O Orçamento aprovado prevê investimento de R$ 58,8 bilhões apenas pela controladora do sistema, sem considerar neste valor as verbas de orçamento das subsidiárias. Desse valor, 59,02% destinam-se para a área de exploração e produção, 33,10% para abastecimento, 5,42% para gás e energia e 2,46% a outras áreas da empresa.

Segundo a assessoria de imprensa da estatal, o total de investimentos da controladora inclui R$ 55,5 bilhões em recursos próprios da Petrobras e R$ 3,3 bilhões em recursos de terceiros.

O volume de investimento é menor se comparado ao do ano de 2011, quando a empresa injetou R$ 73 bilhões, sendo a maior parte destinada para a divisão de Exploração e Produção, que representou 47% da cifra total.

Para 2012, apesar do investimento um pouco mais modesto, as expectativas são positivas, segundo declarações do ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, em fevereiro deste ano.  Ele acredita que os problemas com as sondas não devem se repetir em 2012.

Retorno em longo prazo

Pelo que se percebe, essa queda nos lucros da companhia não assusta sua direção. Isso porque eles entendem que os investimentos feitos desde a descoberta do pré-sal terão retorno considerável em até oito anos. Ainda segundo dados da Folha, até 2014, a Petrobras terá à sua disposição 37 sondas capazes de trabalhar em áreas de mais de 2.500 metros, em 2007 elas eram somente duas.

Ainda segundo dados da Folha, a Petrobras está finalizando o processo das negociações de 21 sondas adicionais, para completar o pacote de 28 sondas que serão entregues até 2020, quando a Petrobras terá 65 sondas de perfuração de alta profundidade no Brasil.

O tom da campanha da PLR

Pelos números e projetos de investimentos futuros, os trabalhadores ficam à vontade para fazer a campanha da PLR. A leve redução nos lucros pode ser compensada pelo retonro do volume de investimento previsto e valorização desta empresa diante das perspectivas do pré-sal são enormes.

Portanto, não devemos nos acanhar no tom da campanha da PLR deste ano, ao contrário. Diante de uma capacidade cada vez maior de investimento da Petrobras, nossos cálculos não são tão objetivos. Os resultados, de que trata a lei e a própria sigla PLR, nos levam além e isso implica em repassar aos trabalhadores, principais responsáveis pela materialização dos objetivos da companhia, os resultados nunca considerados na distribuição da PLR.

Compartilhar: