Pular para o menu
1307541125

Arábia Saudita planeja aumento da produção de petróleo

08 de junho de 2011 às 10:52

A Arábia Saudita está planejando elevar acentuadamente sua produção de petróleo em junho, seja qual for a política adotada pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) esta semana, em um esforço para conter a alta dos preços dos combustíveis.

Riyadh espera elevar a produção em mais de 500 mil barris por dia em junho, para o maior nível em três anos, disse à Reuters uma fonte do setor de petróleo no Golfo, familiarizada com a política de produção da Arábia Saudita.

Preocupada com o impacto dos custos inflacionados de energia no crescimento econômico, a Arábia Saudita atuará sozinha caso seja necessário para manter um limite sobre os preços, agora a US$ 114 o barril para o contrato do petróleo tipo Brent.

Maior produtor da Opep, a Arábia quer que o cartel eleve formalmente a meta de produção na reunião de quarta-feira, para mostrar aos países consumidores que vê riscos na falta de controle dos preços para a economia global. Até agora, entre os 12 membros do cartel, o aumento só tem o apoio dos aliados do Golfo Árabe Kuwait e Emirados Árabes Unidos.

"Eu espero que a Opep eleve a produção nesta reunião, mas eu ainda não tenho certeza do quanto", disse à Reuters o ministro do Petróleo do Kuwait Mohammed al-Busairi. "O mercado vai ficar apertado", disse o ministro do Petróleo dos Emirados Árabes Unidos Dhaen al-Hamli.

A fonte disse que a produção saudita em junho deveria ficar na média entre 9,5 e 9,7 milhões de barris por dia. Uma estimativa da Reuters colocou a produção em 8,95 milhões de barris por dia (bpd) em maio.

A produção saudita chegou a este ponto elevado pela última vez no meio de 2008, após os preços do petróleo atingirem um recorde de US$ 147 o barril, antes da recessão reduzir os preços.

"Essa é uma demonstração dos sauditas de que eles têm o controle", disse Scott Niquist, da consultoria McKinsey. "A Opep está ansiosa para ter o controle sobre o mercado no curto prazo. Há uma sensação de que o controle que eles tinham foi perdido."

A oferta excedente da Arábia Saudita não vai toda para exportação. Uma parte vai alimentar geração extra de energia em termelétricas para garantir o funcionamento de ar condicionado no verão árabe. Além disso, a refinaria Rabigh Red Sea está retomando operação, após parada para manutenção.

Fonte: Portal Terra

Compartilhar: