Pular para o menu
1297368860

Auditores Fiscais do Trabalho interditam plataforma Cherne 2 na Bacia de Campos

10 de fevereiro de 2011 às 17:14

A plataforma Cherne 2 (PCH-2), na Bacia de Campos, foi interditada nesta quinta-feira (10/02), por fiscais da SRTE (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego), que encontraram condições inseguras de trabalho em auditoria a bordo feita na quarta (09) com o acompanhamento do Sindipetro-NF (Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense).

No dia 19 de janeiro, a plataforma foi atingida por incêndio em uma bomba, que danificou parte dos seus equipamentos e provocou uma suspensão da produção de 9,3 mil barris diários de petróleo. Uma vistoria da Marinha autorizou o retorno das atividades.

No entanto, petroleiros de PCH-2 relataram, em documento enviado ao Sindipetro-NF (disponível em www.sindipetronf.org.br), que a unidade continuava com problemas na segurança.

“No início, a Petrobrás afirmou que o incêndio se tratava de um incidente, mas logo recebemos informações dos trabalhadores de que a situação na plataforma é muito mais grave. Isso tem ocorrido com frequência na Bacia de Campos, onde quase todas as plataformas têm pendências sérias na área de segurança”, disse o coordenador geral do Sindipetro-NF, José Maria Rangel, que acompanhou a auditoria dos fiscais da SRTE, junto com o diretor do Departamento de Saúde do Trabalhador, Vitor Carvalho. 

Entre as irregularidades encontradas pelos auditores estão a precariedade do sistema de combate a incêndio, a falta de iluminação de emergência, a insuficiência do ar condicionado, a falta de inspeções em equipamentos atingidos pelo incêndio, a falta de barreiras de contenção nas áreas do incêndio e o descumprimento de diversos itens da Norma Regulamentadora NR-10, que trata das instalações elétricas.

FUP

Compartilhar: