Pular para o menu
1309788447

Bandeiras dos movimentos sociais se integram à agenda das centrais sindicais

04 de julho de 2011 às 11:07

Reunidos na sede da CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, nesta sexta-feira, 01/07, dirigentes das centrais sindicais, CTB, CGTB, Força Sindical, NCST, UGT e lideranças de movimentos sociais deliberaram a pauta e a participação em conjunto nas mobilizações da jornada nacional de luta da classe trabalhadora.

Os representantes da UBM- União Brasileira de Mulheres, UNE- União nacional dos Estudantes, CONAM - Confederação nacional das Associações de Moradores, UNEGRO – União de Negros Pela Igualdade, UBES - União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, ANPG- Associação Nacional de Pós-Graduandos, UJS- União da Juventude Socialista, MST- Movimento dos Trabalhadores Sem Terra,estabeleceram uma pauta única com as centrais sindicais.

Elza Maria Campos, presidenta da UBM, destacou a união dos movimentos sindical e social. “Nós consideramos fundamental essa unidade do movimento dos trabalhadores e das trabalhadoras nessa agenda de lutas, para potencializar justamente essa luta e garantir a continuidade desse movimento que demonstrou muita união e força na campanha que garantiu a eleição da presidenta Dilma”.

Além dos itens principais da pauta da classe trabalhadora, como a redução da Jornada de trabalho, fim do fator previdenciário, regulamentação das terceirizações e o fim das práticas antissindicais os movimentos sociais incluíram suas bandeiras na mobilização, como defesa da igualdade de oportunidades e qualquer forma de discriminação e violência, pela reforma agrária e urbana, valorização da agricultura familiar, direito à moradia, soberania nacional.

“Achamos extremamente importante a unidade dos movimentos sociais em consonância com as centrais sindicais, esperamos avançar bastante nas conquistas para os trabalhadores e achamos o momento bastante positivo para o movimento social brasileiro”, declarou Edson França, presidente da Unegro.

A mobilização marcada para dia 6/7 em Brasília, e também nos dias 13/07 nos estados da região Norte, no dia 20/07, nos estados do Sul, e a da região Sudeste no dia 03/08, em ato nacional com concentração em frente ao estádio do Pacaembu, contará com a mobilização dos movimentos sociais na jornada nacional de lutas e agenda da classe trabalhadora.

Maria José da Silva, diretora do CONAM, declarou que “esta unidade em torno da agenda das centrais vem fortalecer a luta da população, porque os trabalhadores passam por dificuldades no seu dia a dia, por conta da moradia, da saúde, e educação. Essa agenda vem para reforçar e para fortalecer a luta por um país melhor e mais justo, pois os movimentos tanto o sindical como o social, estão ligados e têm um único objetivo, a valorização do trabalho”. 

Fonte: Portal CTB

Compartilhar: