Pular para o menu
1506449189

Botijão de gás está mais caro

26 de setembro de 2017 às 15:06

destaque

Foto: Arquivo

A Petrobras, através do Grupo Executivo de Mercado e Preços (Gemp) resolveu reajusta os preços do botijão de gás de até 13 kg para uso residencial. O aumento será, em média, de 6,9% e entra em vigor hoje, terça-feira, dia 26. Segundo a Petrobras, o reajuste será somente do botijão de gás. Este é o segundo aumento no mês de setembro e o terceiro em menos de dois meses.

De acordo com a Petrobras, o ajuste foi aplicado sobre os preços sem incidência de tributos. Assim, segundo suas estimativas, se o aumento for repassado integralmente ao consumidor, o preço do botijão de GLP-13 pode ter alta média de 2,6% ou cerca de R$ 1,55 por unidade. Segundo a empresa, o cálculo será este mesmo, caso sejam mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

Para definir o aumento, o Gemp considerou os baixos estoques e a proximidade do inverno no hemisfério Norte, que aumenta a demanda, em um momento de baixos estoques. Assim, entendeu que o reajuste era necessário pois que segue a variação no mercado internacional.

A Sindigás (Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo), afirma, em nota, que o reajuste vai oscilar entre 6,4% e 7,4% de acordo com a região e diz que a correção liberada pela Petrobras não repassa integralmente a variação de preços do mercado internacional.

A entidade calcula que o preço do botijão ficará 15% abaixo da paridade de importação, o que inibe investimentos privados em infraestrutura no setor de abastecimento.

No dia 6 de setembro último, a Petrobras aumentou o preço do botijão de 13 kg em 12,2%, e isso causado pelo furacão Harvey, que impactou na região exportadora, nos Estados Unidos. Nesta ocasião, a alta média foi de 4,2% ou cerca de R$ 2,44 por botijão. E, antes disso, no início de agosto, os preços do gás de cozinha sofreram reajuste de 6,9%.

Fonte: Jornal GGN

Compartilhar: