Pular para o menu
1410805389
EDITAL

Concurso anunciado pela Petrobrás nem sequer repõe vagas decorrentes do PIDV

Sindicato saúda iniciativa, mas continuará cobrando preenchimento de postos de trabalho

15 de setembro de 2014 às 15:23

destaque

Foto: Arquivo

Depois de repetidas cobranças da categoria petroleira, a Petrobrás, finalmente, divulgou um edital de concurso público para preenchimento de 8.088 oportunidades de trabalho para níveis médio e superior. Lançado na última sexta-feira, 15, o aviso oficial prevê o preenchimento imediato de 663 vagas, sendo que os outros 7.452 aprovados formarão o cadastro de reserva. Resta saber se, ao final dos seis meses de validade, prorrogáveis por mais seis, as contratações efetivadas serão suficientes, ao menos, para preencher as vagas abertas em consequência do Programa de Incentivo às Demissões Voluntárias da Petrobrás - PIDV.

No Rio Grande do Norte, por exemplo, o edital prevê a contratação imediata de 50 vagas para nível médio e técnico. Já, para a formação do cadastro de reserva, o número buscado pela Companhia é de 650 profissionais. No entanto, o número de adesões ao PIDV em terras potiguares alcançou 449 trabalhadores, sendo que 151 já se desligaram da Companhia. O restante deverá fazê-lo, progressivamente, até maio de 2016.

Ou seja, somente no Estado, para cumprir as promessas de reposição dos postos de trabalho decorrentes do PIDV, a Petrobrás teria que contratar imediatamente três vezes mais profissionais, e, aproximadamente, 70% do cadastro de reserva anunciado, e rápido. A celeridade se faz necessária em virtude da crescente sobrecarga de trabalho que incide sobre um contingente cada vez mais reduzido de trabalhadores, já afetado por outros programas, como o de transferência para a Bacia de Campos. Em outras palavras: se antes, sem o PIDV, um concurso já estava na ordem do dia, o que dizer agora?

Acidentes – As consequências da redução de efetivos são velhas conhecidas da categoria petroleira. Além da sobrecarga excessiva de trabalho, decorrente do acúmulo de funções para cumprimento de metas de produção, o desvirtuamento de regimes, o aumento da terceirização e da insegurança, com crescimento do número de acidentes, são fantasmas que rondam os trabalhadores. O SINDIPETRO-RN vem insistindo na necessidade de novas contratações e, ao mesmo tempo em que saúda a Petrobrás pela iniciativa, continuará cobrando o preenchimento de todos os postos de trabalho.

 

Compartilhar: