Pular para o menu
1447100213

Fátima Bezerra manifesta apoio à pauta dos petroleiros

09 de novembro de 2015 às 17:16

destaque

Foto: Gilson Sá

Com objetivo de pedir apoio à “Pauta pelo Brasil” e somar esforços em prol da luta nacional desenvolvida pela categoria petroleira, a Diretoria Colegiada do SINDIPETRO-RN participou de uma reunião com a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), no início da tarde desta segunda-feira, 9, em Natal. Na oportunidade, os sindicalistas fizeram um histórico e uma avaliação da greve nacional dos trabalhadores e trabalhadoras do Sistema Petrobrás, que já entrou no nono dia de mobilização, e acordaram algumas iniciativas políticas com a senadora.

Em nome da entidade, o diretor de Comunicação do SINDIPETRO-RN, Márcio Dias, relatou as dificuldades que os trabalhadores vêm enfrentando para negociar a “Pauta pelo Brasil” com a Direção da Petrobrás e também criticou os projetos que tramitam no Congresso Nacional, ameaçando a sobrevivência da empresa enquanto sistema integrado de produção de energia e o modelo de partilha para a exploração do pré-sal.

Com um histórico de manifestações de solidariedade às lutas empreendidas pelos petroleiros norte-rio-grandenses, Fátima Bezerra renovou o seu apoio às reivindicações da categoria, afirmando que o RN já teve muitas perdas com as demissões resultantes dos cortes de investimentos na Petrobrás e que a venda dos campos maduros representa uma grande ameaça à economia do Estado. No terreno das ações, a senadora prontificou-se em reunir a Frente Parlamentar em Defesa da Petrobrás e disse que pretende discutir a importância da “Pauta pelo Brasil” em âmbito nacional e também local.

Além disso, especificamente sobre a greve, Fátima Bezerra elogiou a maneira como o movimento tem sido conduzido. “Quero parabenizar a postura do SINDIPETRO-RN e dos sindicatos filiados à FUP, por defenderem uma empresa que tem um papel tão importante para o Brasil, tanto no aspecto econômico, quanto na geração de recursos destinados à Educação”. A Petrobrás é a principal responsável pelo crescimento do segmento do petróleo e gás no PIB nacional (13%) e tê-la como operadora única no pré-sal é a maior garantia da destinação dos royalties para a Educação e a Saúde.

Compartilhar: