Pular para o menu
1333117591
Eleição no SindipetroRN

Mais do que uma simples eleição: Escolha dos seus representantes

Entre 10 e 13 de abril a classe petroleira do RN decide a nova diretoria do SINDIPETRO-RN para os próximos 3 anos

30 de março de 2012 às 11:26

destaque

Foto: Arquivo

Entre os próximos dias 10 e 13 de abril, a classe petroleira do Rio Grande do Norte é chamada a se posicionar sobre o futuro das lutas corporativas dos trabalhadores na escolha da nova diretoria do SINDIPETRO-RN para os próximos três anos.

Nesse processo, é impensável imaginar os trabalhadores ausentes de tal disputa política do movimento sindical. Mais do que isso, a classe petroleira precisa estar na vanguarda do processo de disputa, por meio da colaboração militante, da elaboração de propostas e da participação efetiva nas eleições.

Estará em disputa a possibilidade de fortalecer a capacidade da classe petroleira no estado em assumir uma posição de maior protagonismo. Contudo, após décadas de retrocesso e um pequeno período de resgate da liberdade sindical, este protagonismo só virá realmente à tona com a participação efetiva dos trabalhadores e trabalhadoras nesse processo.

Vivemos uma conjuntura que nos permite transmitir ideias e debatê-las. Uma possibilidade democrática que nem sempre ocorreu. Basta voltarmos ao Brasil de 1964 a 1985, época da ditadura.

A ditadura caiu em 1985 e um período democrático teve início. Não vivenciamos ainda uma democracia plena, mas é fundamental que nessa quadra o processo de formação ocorra nos movimentos sindicais, quer visem melhorar os salários e as condições de trabalho, quer sejam no que se refere à luta política propriamente dita.

O grande desafio do momento é a participação efetiva dos sindicalizados na eleição de sua entidade representativa. Os petroleiros não podem ser meros expectadores, devem ser firmes e ativos impulsionadores das mudanças. Afinal, são os sindicalizados os principais interessados no projeto que sair vitorioso nas urnas.

Nesse sentido, o processo eleitoral apresenta-se  como uma grande oportunidade para os sindicalistas se formarem e contribuírem no processo de formação dos trabalhadores e trabalhadoras. Ao enfrentarem o debate – que traz a descrença na política sindical como um dos seus componentes básicos – os petroleiros que estão na disputa precisam se preparar, estudando, procurando argumentos que possam convencer. Ao mesmo tempo, nesse diálogo, os trabalhadores e trabalhadoras do Sistema Petrobras continuam seu processo de formação.

Assim, a disputa eleitoral nos leva a ter dois objetivos claros: a conquista dos votos e a possibilidade concreta de contribuirmos para a elevação do nível de consciência dos trabalhadores petroleiros.

Fortaleça a luta do Sindicato, participe!

Compartilhar: