Pular para o menu
1372965358
"VEM PRA RUA"

Movimentos sociais se unem às centrais para Dia de Luta

Atividade foi convocada pelas centrais sindicais e que ocorrerá pelo Brasil afora no próximo 11 de julho

04 de julho de 2013 às 16:15

destaque

Foto: Arquivo

Setenta e sete organizações e movimentos sociais de todo o país se reuniram na noite desta terça-feira (25), em São Paulo, para definir sua participação no Dia Nacional de Luta com Greves e Mobilizações, atividade convocada pelas centrais sindicais e que ocorrerá pelo Brasil afora no próximo 11 de julho.

A reunião com os movimentos sociais ocorreu após a decisão das centrais sindicais de irem às ruas para pressionar o governo e o empresariado a aprovar a pauta de reivindicações da classe trabalhadora. Inicialmente, o movimento sindical havia proposto uma pauta com nove reivindicações dos trabalhadores do campo e da cidade. Depois do encontro da noite desta terça-feira, foram incluídas mais três bandeiras e denúncias (confira abaixo). 

Os representantes dos movimentos e das centrais sindicais definiram que uma nova reunião será realizada no dia 2 de julho, para que as entidades possam dar andamento aos preparativos necessários para que os atos sejam bem sucedidos em todo o país.

Confira abaixo as bandeiras de luta:

- Fim do fator previdenciário
- 10% do PIB para a Saúde
- 10% do PIB para a Educação
- Redução da Jornada de Trabalho para 40h semanais, sem redução de salários
- Valorização das Aposentadorias
- Transporte público e de qualidade
- Reforma Agrária
- Mudanças nos Leilões de Petróleo
- Rechaço ao PL 4330, sobre Terceirização.

Propostas incluídas pelos movimentos sociais:

- Reforma política e realização de plebiscito popular
- Reforma urbana 
- Democratização dos meios de comunicação.  

Denúncias

- O genocídio da juventude negra e dos povos indígenas. 
- A repressão e a criminalização das lutas e dos movimentos sociais. 
- A impunidade dos torturadores da ditadura. 
- Somos contra aprovação do estatuto do nascituro 
- Somos contra a redução da maioridade penal.  

CTB Com informações do MST

Compartilhar: