Pular para o menu
1566522427

No terceiro dia de assembleias, tendência de rejeição à contraproposta da Petrobrás permanece elevada

22 de agosto de 2019 às 22:07

destaque

Foto: Arquivo

Com mais de 72% de rejeição acumulada, a terceira contraproposta de Acordo Coletivo de Trabalho apresentada pela Petrobrás continua sendo rechaçada pela categoria petroleira norte-rio-grandense. Nesta quinta-feira, 22, manifestaram-se os trabalhadores das bases do ET-B, ET-A, S-7 e da Usina Termelétrica Jesus Soares Pereira (UTE-JSP).

Considerada um grave retrocesso, com restrição ou até mesmo subtração de diversos direitos já consagrados no atual Acordo Coletivo, a contraproposta ainda ataca a organização sindical, buscando enfraquecer os principais instrumentos de representação e luta dos trabalhadores. Não por acaso, a rejeição acontece mesmo sob os olhares de gerentes e supervisores.

Outros indicativos da FUP/Sindicatos que vêm sendo aprovados pelos trabalhadores tratam da manutenção da negociação coletiva nos pontos divergentes; da prorrogação dos efeitos do ACT atual enquanto houver negociação; e da deflagração de greve, em data a ser definida pelas entidades sindicais, caso a empresa decida retirar algum direito durante o processo negocial.

No Rio Grande do Norte, as sessões deliberativas da Assembleia Geral prosseguem até a sexta-feira, 30/08, reunindo trabalhadores e trabalhadoras de todas as principais bases administrativas e operacionais da Petrobrás. E, nesta sexta-feira, 23, a partir das 8h30, será a vez da sede Natal.

Veja, a seguir, o calendário com as sessões deliberativas que ainda serão realizadas e participe!


Compartilhar: