Pular para o menu
1363793388
Equívoco

Proposta de PLR não foi rediscutida pelos petroleiros do RN

Ao avaliar quadro nacional, assembleias decidiram, apenas, delegar ao Sindicato a assinatura do Acordo

20 de março de 2013 às 12:29

destaque

Foto: Arquivo

A Federação Única dos Petroleiros, em seu Boletim ”Informe FUP”, de 19 de março, equivocou-se, ao estampar, em manchete, que a categoria petroleira norte-rio-grandense aprovou o acordo de quitação da PLR, em uma nova rodada de assembleias. Nas sessões deliberativas realizadas entre 17 e 19 de março, em 12 bases, situadas em seis cidades, trabalhadores e trabalhadoras do Sistema Petrobrás não produziram qualquer novo juízo de valor sobre a última proposta de PLR apresentada pela Petrobrás. Tal apreciação já havia sido feita em assembleia anterior, com conclusões amplamente divulgadas neste sítio, e de amplo conhecimento da categoria petroleira brasileira.

Para relembrar, os norte-rio-grandenses foram contrários ao indicativo de aceitação aprovado pelo CD da FUP, que considerou a última proposta encaminhada pela Companhia como satisfatória, e, até mesmo, como conquista. Diferentemente, a maioria dos petroleiros potiguares avaliou a proposição como rebaixada, e entendeu que havia disposição de luta, tempo e motivações para darmos prosseguimento à Campanha, uma vez que a assembleia de acionistas da Petrobrás só acontecerá em 15 de abril. Ocorre que, como é de amplo conhecimento da categoria, o posicionamento dos norte-rio-grandenses não foi corroborado pelas demais bases sindicais do campo fupista, mesmo que, em algumas áreas, o indicativo de aceitação tenha sido aprovado por pequena margem de votos.

Assim, considerando o quadro nacional resultante das consultas, a direção do SINDIPETRO-RN decidiu convocar uma nova “rodada de assembleias”, mas não com o propósito insinuado pelo “Informe FUP”. Nas sessões deliberativas, a categoria petroleira norte-rio-grandense buscou avaliar as possibilidades concretas de continuidade da luta e, diante das dificuldades de mobilização nacional unificada, decidiu delegar ao Sindicato a assinatura do Acordo, sem fazer qualquer nova apreciação de conteúdo ou, muito menos, autocrítica, em relação ao julgamento anterior. No RN, portanto, trabalhadores e trabalhadoras continuam considerando que as bases do atual Acordo de PLR são injustas, e reivindicam ter este posicionamento corretamente apresentado, para que não restem dúvidas.

Veja, aqui, a solicitação de retificação encaminhada ao Informe FUP pelo SINDIPETRO-RN.

E, aqui, o Comunicado encaminhado à Petrobrás, com a decisão da Assembleia.

Arquivos anexados
Compartilhar: