Pular para o menu
1381342708
PELA SUSPENSÃO DO LEILÃO DE LIBRA

SINDIPETRO-RN participa de reunião da Frente Parlamentar em defesa da Petrobrás, Pré-sal e dos Campos Terrestres

Foco da Frente é articular com os deputados a votação, em caráter urgente urgentíssimo, de Decreto que susta o Leilão

09 de outubro de 2013 às 15:18

destaque

Foto: Graziella Sousa

Fazer em onze dias a conscientização total da sociedade e parlamentares acerca dos problemas que representam o Leilão de Libra, impedindo que ele aconteça. Este é o grande objetivo da Frente Parlamentar em Defesa da Petrobrás, do Pré-sal e dos Campos Terrestres de Produção, que se reuniu nesta terça-feira, 8, na Câmara dos Deputados, em Brasília. Entre as principais estratégias estabelecidas pela Frente está a de articular com os parlamentares a votação em caráter de urgência dos Decretos Legislativos, que sustam o Leilão, e  correm, em paralelo, no Senado e na Câmara dos Deputados.

A ideia é realizar um verdadeiro enfrentamento aos moldes da Campanha “O petróleo é nosso”, - da década de 40, que durou oito anos – só que em poucos dias, destacou o jornalista,  Osvaldo Maneschy. Para ele, é necessário informar a população sobre a verdade, que leiloar o campo de Libra é um atentado à soberania e à nação brasileira, além de um prejuízo econômico incalculável. "Para isso, a estratégia é utilizar, ao máximo, ferramentas de divulgação impressas e a internet, rede de contatos e mídias sociais para divulgar, por meio da mídia alternativa, aquilo que a mídia tradicional omite", ratificou Maneschy.

Para cumprir esta missão, a orientação é que cada base promova, paralelamente às ações nacionais, atividades locais e informativas. Sobre este tema, o coordenador do SINDIPETRO-RN, Dedé Araújo, frisou a necessidade de se realizar mobilizações mais incisivas, como trancaços, tanto nas bases operacionais, como na sede administrativa da Petrobrás, no Rio de Janeiro.

Dedé Araújo também destacou a importância de se realizar um trabalho 'corpo a corpo' com os parlamentares para que eles subscrevam o Decreto Legislativo, que tramita na Câmara, pois, ao se conseguir a assinatura de um terço dos deputados, o documento segue para votação em caráter urgente urgentíssimo."Acredito que, neste momento, esta a única ferramenta capaz de barrar o Leilão", lembrou o coordenador-geral do SINDIPETRO-RN.

Já o coordenador-geral da FUP, João Morais, cobrou dos candidatos à presidência do PT um posicionamento contrário acerca do Leilão de Libra e lembrou que a Federação enviou uma carta aos possíveis dirigentes do partido, questionando-os sobre o tema. A unidade entre partidos, federações, centrais sindicais e sindicatos também foi apontada como primordial para a vitória dos movimentos sociais nesta causa. Atos e eventos de combate ao Leilão precisam contar com o maior grau de participação das entidades.

É o caso, por exemplo, do debate acerca do futuro do pré-sal, que acontece no próximo dia 15 de outubro, no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deoutados, em Brasília. O evento, promovido pelo Partido  Democrático Trabalhista - PDT, contará com a participação de profissionais reconhecidos na área do Petróleo, como o vice-presidente da AEPET, Fernando Siqueira, o economista, Carlos Lessa, o ex-presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrieli, entre outros.

Participam da Frente, além do SINDIPETRO-RN, a FUP, CTB, CUT, MAB, AEPET, todos os SINDIPETRO'S do Norte e Nordeste do país e Espírito Santo.

Compartilhar: