Pular para o menu
1559309544

Todos às assembleias para reafirmar: Nenhum direito a menos!

31 de maio de 2019 às 10:32

destaque

Foto: Arquivo

O SINDIPETRO-RN conclama os trabalhadores e trabalhadoras do Sistema Petrobrás às assembleias para rejeitar a proposta da Petrobrás que rebaixa o Acordo Coletivo, pavimenta um caminho para a privatização, e retira direitos da classe trabalhadora. 

As sessões deliberativas serão realizadas no período de 03 a 06 de junho, e além do indicativo da FUP e da FNP de rejeição da proposta de Acordo Coletivo apresentada pela Petrobrás no último dia 22, a categoria petroleira também vai votar a participação na Greve Geral do dia 14 de junho, a aprovação de Estado de Greve e de Assembleia Permanente.

Veja, a seguir, o calendário de assembleias:

DIA

LOCAL

HORA

03/06 (segunda-feira)

Lorena

7h

-

Transpetro Macaíba

7h

-

RFQ

13h

04/06 (terça-feira)

 

Embarque Mar

6h

-

CAM

12h

-

Embarque do turno do ARG

15h

-

Transpetro Mossoró

15h

05/06 (quarta-feira)

 

Base-34

8h

-

S7

12h

-

UTE

12h30

-

Embarque do turno do Polo de Guamaré

15h30

06/06 (quinta-feira)

 

Sede Natal

8h

-

Polo de Guamaré

12h30

VIII PLENAFUP

Presentes na 8ª edição da Plenária Nacional da FUP, em Belo Horizonte, final de semana passado, petroleiros e petroleiras de todo Brasil aprovaram por unanimidade um amplo calendário de lutas em defesa da soberania nacional e a construção de uma greve forte e unitária no Sistema Petrobrás contra as privatizações, por preços justos para os combustíveis, em defesa da liberdade e autonomia sindical e por nenhum direito a menos.

A plenária defendeu uma série de mobilizações para barrar a venda das refinarias e demais unidades em processo de privatização e evitar o desmonte dos direitos da categoria. Os petroleiros também reafirmaram o enfrentamento ao projeto ultraliberal do governo Bolsonaro de destruição de direitos e conquistas sociais do povo e desnacionalização dos recursos estratégicos da nação.

A participação na greve geral do dia 14 de junho foi aprovada por unanimidade, com indicativo para que os trabalhadores realizem paralisações de 24 horas em todo o Sistema Petrobrás. Será o esquenta para a grande greve nacional da categoria.

Com informações da FUP

Arquivos anexados
Compartilhar: