Pular para o menu
1306509730

ANP reduz estimativa para reservas no campo de Libra

27 de May de 2011 às 12:22

O campo de Libra provavelmente contêm 5 bilhões de barris de petróleo, disse uma diretora da Agência Nacional do Petróleo nesta quinta-feira, muito menos do que os 8 bilhões que tinham sido estimados anteriormente.

"O volume mais provável de petróleo com os dados que temos é que tenha 5 bilhões de barris", afirmou Magda Chambriard a jornalistas, após participar de um seminário do setor de petróleo no Rio.

O campo deve ser uma das primeiras áreas em águas profundas do pré-sal a ser leiloada sob as regras de exploração de petróleo criadas no ano passado no Brasil.

As reservas no pré-sal ao longo da costa do Brasil devem conter, de acordo com algumas estimativas, mais que 50 bilhões de barris de petróleo. Estimativas iniciais para o campo de Libra variaram entre 3,7 a 15 bilhões de barris.

Nova rodada

Chambriard disse que o Brasil espera que as empresas de petróleo mostrem bastante interesse na próxima rodada de licitação de áreas para exploração, ainda que as áreas oferecidas não vão estar no cobiçado pré-sal.

Os blocos de exploração estarão concentrados na margem equatorial no norte do Brasil e incluem áreas na costa e em terra. "Esperamos que todas as grandes empresas de petróleo participem," disse. "Há sinais de petróleo e gás em toda a região. Estas áreas merecem muita atenção."

A geologia lá é similar a áreas na costa da África Ocidental que são prolíficas em petróleo, ela acrescentou. Um executivo da petroleira francesa Total disse que essas similaridades fazem a rodada ser atrativa para a companhia.

"Estamos certamente ansiosos pela próxima rodada, pois acreditamos que com a nossa experiência (na) África Ocidental temos um excelente conhecimento da geologia da margem Equatorial", disse Denis Palluat de Besset, gerente geral para a Total Exploration and Production no Brasil.

O leilão, marcado para o final de setembro ou início de outubro, vai acontecer sob as regras do atual sistema de concessões. No ano passado, o Congresso aprovou um sistema de produção compartilhada que será usado para novos projetos na região do pré-sal.

Os leilões nesta área, contudo, estão parados até que os legisladores cheguem a um acordo sobre como os royalties destas operações serão distribuídos entre os Estados brasileiros.

Fonte: Portal Terra

Compartilhar: