Pular para o menu
1330624811
INTERNACIONAL

Cuba cria ministério para cuidar das áreas petrolífera, de energia elétrica e de mineração

A reestruturação integra um plano de aperfeiçoamento dos organismos da administração central do Estado

01 de March de 2012 às 15:00

Brasília – O governo do presidente de Cuba, Raúl Castro, aprovou hoje (1º) a criação do Ministério de Minas e Energia, como resultado da reformulação do atual Ministério da Indústria Básica (Minbas). A decisão foi tomada durante a reunião do Conselho de Ministros, presidida por Castro, em Havana, Cuba, no último dia 24. As informações são do jornal oficial de Cuba, Granma.

Em nota, o governo informou que o novo ministério será responsável pelas atividades petrolíferas, de energia elétrica e mineração. A pasta englobará as áreas de siderurgia, indústria leve e química, além de parte do abastecimento elétrico do país – um dos problemas para Cuba, que sofre com frequentes apagões.

A reestruturação integra um plano de aperfeiçoamento dos organismos da administração central do Estado e corresponde à ordem do presidente de “avançar na divisão” das tarefas estatais e empresariais.

Também por determinação do Conselho de Ministérios, o sistema urbanístico do país deve passar por uma reformulação. A ideia é orientar sobre a maneira de promover construções. Em Cuba, a questão da moradia é uma das principais dificuldades da população principalmente na capital, Havana.

O Instituto de Planejamento Físico monitorará as atividades. “A solução não é proibir a construção, mas indicar onde e como construir”, disse o presidente cubano. Castro acrescentou ainda que a ocupação não autorizada não deve ser considerada um ato ilegal, porque, em muitas situações, representa as necessidades das pessoas em buscar moradia.

Castro e os ministros também ressaltaram a necessidade de estimular que os estudantes – nos níveis técnico e universitário – busquem formação nas áreas de mecânica, transporte, construção civil, energia elétrica, indústrias, agricultura e serviços. Desde 2010, o governo cubano incentiva a sociedade a aderir a uma série de mudanças implementadas pelo Executivo. A ideia é incrementar a economia de Cuba, que sofre com o embargo imposto pelos Estados Unidos.

Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Edição: Juliana Andrade

Compartilhar: