Pular para o menu
1295377913

Economia cria 15 milhões de empregos nos dois mandatos de Lula

18 de January de 2011 às 16:11

A economia brasileira gerou 2.524.678 empregos formais no ano de 2010, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados no início da tarde desta terça-feira (18). É um recorde que superou a meta anunciada pelo governo de 2,5 milhões. Ao longo de oito anos de governo Lula foram criados 15 milhões de empregos formais.

De acordo com o Ministério do Trabalho, essa é a primeira vez desde que foi adotada a nova metodologia pelo ministério, em 1999, que o número de empregos com carteira assinada ultrapassa 2 milhões em um ano.

Forte recuperação

Segundo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o recorde na geração de empregos em 2010 se deveu ao forte ritmo de crescimento da economia brasileira após a crise financeira de 2009. "Viemos de 2009 onde a economia estava parada. A consequência dessa parada foi a retomada forte da economia em 2010. Essa comparação com um ano fraco de 2009 favorece 2010", disse.

Considerando apenas o mês de dezembro, no entanto, a economia brasileira fechou 407.510 postos com carteira assinada. Foram 1.230.563 admissões e 1.638.073 desligamentos, ambos recordes para meses de dezembro. O resultado negativo é considerado normal (sazonal) no mês.

Ainda de acordo com informações do Caged, durante os dois mandatos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (de janeiro de 2003 a dezembro de 2010) foram criadas 15.048.311 vagas.

Agricultura fecha no vermelho

Todos os setores da economia brasileira fecharam o ano no azul na criação de postos de trabalho, com exceção da agricultura, que demitiu mais do que contratou, deixando um saldo negativo de 2,5 mil vagas.

De acordo com o ministro do Trabalho, a queda é considerada normal por conta da "mecanização" do setor. "Há muita transformação no campo, muita mecanização, principalmente nas culturas sucroalcooleiras. Por isso, a média acaba sendo negativa", disse.

Na outra ponta fica o setor de serviços que, sozinho, gerou mais de um milhão de empregos com carteira assinada. O comércio foi responsável por 602 mil vagas, a indústria por 536 mil e a construção civil, 329 mil.

Setor público

A expectativa de Lupi é que o resultado final de geração de empregos em 2010 ultrapasse os três milhões - isso porque os dados divulgados hoje pelo Ministério do Trabalho não levam em consideração os funcionários públicos. Os dados sobre os contratados pelos governos federal, estaduais e municipais são divulgados anualmente.

Portal Vermelho

Compartilhar: