Pular para o menu
1552081505
8 de março

Mulheres do RN protestam contra Bolsonaro, por Previdência e Democracia

Milhares saíram em caminhada e se manifestaram no Dia Internacional da Mulher

08 de March de 2019 às 18:45

destaque

Foto: Arquivo

Sob o lema “Contra Bolsonaro! Vivas por Marielle, em defesa da Previdência e da Democracia”, milhares de mulheres norte-rio-grandenses saíram às ruas nesta sexta-feira, 8, quando se celebra o Dia Internacional da Mulher.

Organizadas por movimentos sociais, entidades sindicais e agremiações políticas, as manifestações exigiram igualdade de direitos e protestaram contra a discriminação, a violência e todas as formas de exploração e opressão.

Em Mossoró, a jornada teve início às 8 horas, com uma concentração em frente ao prédio do INSS, no bairro Aeroporto. Portando faixas e cartazes com críticas à reforma da Previdência, centenas de manifestantes seguiram em caminhada até a Praça do Pax, no centro da cidade.

Já, em Natal, a manifestação teve início às 15 horas. Como forma de protesto à reforma da Previdência, tal como em Mossoró, a concentração inicial foi realizada em frente a uma sede do INSS, no bairro do Tirol.

Segundo as entidades organizadoras, pelo menos quatro mil pessoas, portando faixas, bandeiras, cartazes e entoando palavras de ordem, caminharam até a Praça André de Albuquerque, no Centro Histórico, onde foi realizado um show musical de encerramento.

Petroleiras nas ruas

Para marcar a passagem do Dia Internacional da Mulher junto à categoria petroleira, o SINDIPETRO-RN distribuiu, nas sedes administrativas da Petrobrás, em Natal e Mossoró, um boletim especial elaborado pelo Coletivo Nacional de Mulheres Petroleiras da FUP.

O informativo traz conteúdo relacionado ao feminismo e à luta emancipacionista, além de anunciar a realização do 7º Encontro Nacional de Mulheres Petroleiras, agendado para o período de 5 a 7 de abril, em Vitória (ES).

Já, no período da tarde, o Sindicato também se fez presente na manifestação realizada em Natal, defendendo as conquistas democráticas ameaçadas pelo governo Bolsonaro, especialmente, a Previdência Social.

Compartilhar: