Pular para o menu
1397156805
Direitos trabalhistas

Contra calote, trabalhadores terceirizados em greve fecham Base 34

Movimento é por tempo indeterminado e afeta serviços de sondagem e operação de produção de petróleo

10 de April de 2014 às 16:06

destaque

Foto: Arquivo

Trabalhadores terceirizados de diversas empresas que prestam serviços à Petrobrás em Mossoró realizaram um protesto na manhã desta quinta-feira, 10, e fecharam o acesso às instalações da sede administrativa da Companhia. Eles reivindicam salários atrasados, cumprimento de diretos trabalhistas e mais investimentos da Petrobrás em exploração e produção na região.

A situação mais crítica atinge os trabalhadores da Empercom. Nesta empresa, que possui contratos com a Petrobrás para prestação de serviços junto a Construção de Poços Terrestres – CPT, executando atividades em sondas, na Elevação e na Oficina de Manutenção, os trabalhadores entraram no terceiro dia de greve, com uma adesão superior a 80%.

Para que a mobilização seja suspensa, os petroleiros exigem o pagamento dos salários referentes ao mês de março, que representa uma cifra de aproximadamente R$ 700 mil. Já com relação ao pagamento de férias e de outros encargos trabalhistas em atraso, o volume devido soma R$ 540 mil.

Nota – Na noite da quarta-feira, 9, segundo divulgou o sítio do jornal Tribuna do Norte, a Petrobras informou, por meio de nota, que atua junto às empresas prestadoras de serviço como dispõe a legislação pertinente e de acordo com os contratos assinados e que, no caso em questão, “todos os repasses financeiros relativos aos serviços prestados pela empresa (Empercom) foram realizados”.

No mesmo comunicado, segundo a matéria da Tribuna do Norte, a Petrobrás também esclareceu que está buscando “minimizar os impactos para os trabalhadores e para as operações da companhia, respeitando as condições que o contrato e a legislação impõem”. Com a greve, os serviços de sondagem e operação de produção de petróleo prestados pela Empercom foram suspensos. 

Assembleia – Em assembleia realizada na tarde da quarta-feira, 9, na subsede do SINDIPETRO-RN, em Mossoró, os trabalhadores da Empercom decidiram manter a greve por tempo indeterminado, só retornando ao trabalho depois que a empresa efetuar o pagamento de todas as pendências financeiras e assumir o compromisso de que nenhum trabalhador ou trabalhadora será punido em virtude do movimento.

 

Veja a repercussão na imprensa sobre a mobilização dos terceirizados em Mossoró...

(http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/terceirizados-da-petrobras-param/278856)

(http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/em-greve-terceirizados-da-petrobras-afirmam-que-estao-recebendo-ameacas/278883?utm_campaign=noticia&utm_source=rel)

(http://www.defato.com/noticias/33907/em-greve-funciona-rios-da-empercom-se-manifestam-em-frente-a-sede-da-petrobras)

 

Compartilhar: